SOBRE

Vanessa Caldeira Teixeira Reis é brasileira, mineira da cidade de Varginha, fotógrafa e artista visual, com especialização em Artes Visuais: Cultura e Criação e em Arte, Educação e Tecnologias Contemporâneas.

Em seu estúdio de fotografia e arte desenvolve trabalhos onde se observa uma poética visual contemporânea e a sensibilidade e visão especial da artista que lê o mundo e o apreende, recriando-o como obra sua. Em suas fotografias, percorre caminhos deixando-se enlevar pela magia das nuances da luz; em suas criações artísticas busca reflexão e força crítica por meio de inovações e pesquisas. Faz experimentações mesclando fotografia, desenho, pintura e tecnologia digital.

O processo criativo da artista se desenvolve na virtualidade. O discurso visual se constitui a partir da relação onde fragmentos de imagens desconstruídas de seu aspecto original criam novos significantes e possibilitam a construção de novos objetos de arte.

Suas obras são selecionadas e apresentadas em variados salões nacionais e internacionais: Consulado Geral do Brasil em Nova Iorque EUA - Brazilian and International Contemporary Art (2015) - AVA Galleria, Finlândia - Creative Moment of Brazilian Contemporary Art (2015) - AVA Galleria, França - Salon d’Art Contemporain Carrousel Du Louvre (2014), Áustria - Lateinamérika Institut (2011) e Palais Schlick (2008), Portugal - Museu de Montemor (2011), Espanha - Casa do Brasil (2011), Brasil - Museu Inimá de Paula (2011), Alemanha - Hugendubel Bücher (2008), Polônia - Galeria Elek (2008), entre outros. Possui trabalho catalogado no Arte Padova 2007 – 18ª Mostra Mercato d’Arte Moderna e Contemporânea e no Guide Biennal D’Art Contemporain – 2014/2015. Em 2015 foi uma das artistas selecionadas para o 3°Salão de Outono da América Latina - Galeria Marta Traba - Memorial da América Latina, São Paulo. Também expos em mostras individuais: Vagando em Versus (2014); Entre Verdes e Azuis (2012); O QUE NÃO SE PERCEBE: Um novo olhar sobre o Theatro Capitólio em parceria com arquiteta e tradutora Anita Di Marco (2011/2013); Cena Ausente - Memória de luz e sombra (2009). Como curadora independente trabalhou na concepção do “Projeto | Nômades – Circuito Cultural de Exposições Ela, ele & Eu”, com a exposição ‘Oneyda Alvarenga. Seu tempo, sua busca, sua obra’ (2015) e no projeto “Olhares Sobre Varginha” (2015). Em 2016 sua fotografia “Da dove io ti guardo” foi premiada na Categoria Accésit do X Premio Eurostars de Fotografía Tu Mirada Es Personal – Espanha. Desde fevereiro de 2008 ocupa a cadeira 05 da Academia Varginhense de Letras, Artes e Ciências.